Categoria / Análise

Originalmente escritos em polonês e alemão, e inéditos em língua portuguesa, os escritos políticos de Rosa Luxemburgo abrangem um período que vai de 1899 a 1918. Nos textos ela trabalha temas como: acumulação do capital, guerra e imperialismo; organização democrática do partido e liberdade de crítica; condenação do terrorismo e do racismo; defesa da ação autônoma das massas populares; crítica da substituição dos trabalhadores pelo partido; relatos sobre a Revolução Russa de 1905 e de 1917.

    Carregando post...
  • Uma questão de honra

    Não queríamos “anistia” nem perdão para as vítimas políticas do velho poder reacionário. Exigíamos nosso direito à liberdade, à luta e à revolução para aquela centena de militantes corajosos e leais que definhavam nas penitenciárias e nas prisões por terem lutado, sob a ditadura militar do bando criminoso imperialista, pela liberdade do povo, a paz…

  • A responsabilidade histórica (1918)

    O artigo saiu em Spartakus (janeiro de 1918). A publicação, do grupo liderado por Rosa Luxemburgo, fazia oposição à guerra. Luxemburgo analisa a paz de Brest-Litovski e cobra a responsabilidade dos trabalhadores alemães, que não se rebelam contra as classe dominantes na Alemanha, única maneira, para ela, de salvar a Revolução Russa. Depois do armistício,…

  • Problemas russos (1917)

    Em um comentário sobre a revolução de fevereiro na Rússia, Rosa Luxemburgo enfatiza a ideia de que o proletariado russo, apesar de não ter organizações nem sindicatos, tem espírito de luta, e criará as organizações na luta, assim como fez na revolução de 1905; a palavra de ordem do momento é fim à guerra! ::…

  • A “hora fatídica do partido” (1917)

    Em janeiro de 1917, toda a oposição foi expulsa em bloco do SPD, o que daria origem, em abril desse ano, à formação do moderado Partido Social-Democrata Independente (USPD). Rosa Luxemburgo, apesar da discordância com o grupo centrista, considera necessário o trabalho conjunto com ele. Mais uma vez fica patente sua ojeriza às pequenas seitas…

  • A reconstrução da Internacional

    Publicado em abril de 1915 no primeiro e único número da revista Die Internationale, criada pelo grupo de Rosa Luxemburgo em oposição à guerra. Neste texto clássico, de inegável atualidade, Rosa faz um primeiro ajuste de contas com a Internacional e o SPD, que abandonaram seu programa socialista anterior à guerra, de caráter anti-imperialista. Em…

  • Primatas (1914)

    Rosa Luxemburgo polemiza com o famoso sociólogo Werner Sombart, citando uma passagem chocante de um artigo do ilustre sábio em que ele chama os japoneses de primatas, próximos dos cães. Rosa mostra como a guerra tirou toda aparência de civilidade da sociedade burguesa. Os sábios são de fato bárbaros. :: Ler “Primatas” em PDF “Um…

  • Imperialismo (1914)

    Discurso proferido em Berlim e publicado no jornal Vorwärts (órgão central do SPD). Rosa critica o reformismo no SPD que, dois anos antes, defendia a Tríplice Aliança para garantir a paz. Alianças diplomáticas, numa época em que o imperialismo se tornou “a religião da sociedade burguesa”, são ilusórias defensoras da paz. Alocução no dia 19…

  • Vinte e cinco anos da Festa de Maio (1914)

    Publicado no boletim Sozialdemokratische Korrespondenz (1913-1915), fundado por Rosa, Mehring e Marchlewski visando a difundir as ideias da oposição de esquerda no SPD. Neste artigo de celebração do dia do trabalhador, Rosa faz um resumo da conjuntura europeia dos últimos 25 anos, chamando a atenção para dois fenômenos novos: o desenvolvimento do progresso técnico que…

  • Presidio feminino de Berlim, na rua Barnim, onde Rosa ficou presa de fevereiro de 1915 a fevereiro 1916.

    Contribuição à discussão e palavras finais na reunião de protesto de 7 de março de 1914 contra a condenação de Rosa Luxemburgo em Freiburg

    Neste discurso,  aproveita sua condenação para fazer agitação junto às massas populares, ataca o promotor que a acusou. Rosa Luxemburgo mostra seu grande talento como oradora. É uma obra-prima do uso da retórica pela revolucionária polonesa. Ler em PDF “Contribuição à discussão e palavras finais na reunião de protestos de 7 de março de 1914…

  • O líder da classe operária alemã

    Publicado na revista feminista Die Gleichheit (A igualdade), em homenagem à memória de August Bebel, o artigo recupera a história do socialismo na Alemanha, a qual se confunde com a trajetória de Bebel. A ideia central é que na figura de Bebel, a social-democracia alemã uniu reforma e revolução, realpolitik e princípios revolucionários. Leia em PDF “O líder da…