No centenário do assassinato da revolucionária judia-polonesa-alemã Rosa
Luxemburgo, a Fundação que leva seu nome presta homenagem a essa grande figura do socialismo internacional lançando um hotsite que vai divulgar uma série de textos de sua autoria, inéditos em português.

Essa primeira seleção que fizemos de escritos políticos originalmente escritos em polonês e alemão abrange um período que vai de 1899 a 1918, abordando temas como acumulação do capital, guerra e imperialismo; organização democrática do partido e liberdade de crítica; condenação do terrorismo e do racismo; defesa da ação autônoma das massas populares; crítica da substituição dos trabalhadores pelo partido; relatos sobre a Revolução Russa de 1905 e de 1917.

Mas também queremos apresentar a Rosa Luxemburgo que existe para além da personagem militante, dedicada à política partidária. E os textos aqui escolhidos dão prova da inquietude intelectual da revolucionária polonesa. Apaixonada por literatura, sobretudo a russa, Rosa tece comentários interessantes sobre seus autores prediletos, que também ajudam a entender suas ideias políticas; talentosa no desenho e na pintura, se entregou de corpo e alma a esse ofício por algum tempo, e o resultado poderá se conferido aqui; feminista na prática, ao enfrentar o ambiente machista e patriarcal da social-democracia alemã, Rosa se posiciona a favor dos interesses das mulheres trabalhadoras, contrapondo-os aos das mulheres burguesas; professora da escola de quadros do Partido Social-Democrata Alemão, faz reflexões pertinentes sobre a prática pedagógica popular, para que seja intelectualmente frutífera; humanista, toma posição a favor dos humilhados e ofendidos contra a crueldade do sistema capitalista; sua ligação profunda com a natureza a leva, nas cartas da prisão, a fazer descrições detalhadas e poéticas de plantas, pássaros, nuvens, e a reflexões que mostram, com grande sensibilidade, como se sentia ligada a todas as formas de vida; também não podemos esquecer que fez um herbário quase profissional ao longo dos anos: tantas Rosas em uma.

E essa iniciativa não se encerrará por aí. O site será alimentado regularmente com novas traduções de textos inéditos. Nosso objetivo é contribuir para divulgar a obra dessa grande revolucionária, mais viva do que nunca 100 anos depois do seu assassinato por milícias protonazistas, que nos levam a paralelos dolorosos com o presente.